Matéria

  • Home /
  • Roberto Justus: "O Aprendiz"

Roberto Justus: "O Aprendiz"

Roberto Justus: "O Aprendiz"

Gabriel Gasparini, apelidado como Gaspa, foi o vencedor de “O Aprendiz” e levou para casa o prêmio de R$ 1 milhão. 

Por Michele Marreira.

O formato conhecido originalmente do até então apresentador Donald Trump – hoje Presidente dos Estados Unidos -, chegou ao Brasil no ano de 2004 e já totaliza 11 temporadas. E, após um hiato de cinco anos, Roberto Justus comprou os direitos do projeto e o ofereceu para diversas emissoras que demonstraram grande interesse. “Fechamos com a Band que nos deu uma grande liberdade”, explicou, ele que não renovou contrato com sua antiga emissora, Record TV. Mas deixa claro que não foi demitido, clássica frase sempre utilizada por ele nas edições anteriores na hora de eliminar um participante. “Enquanto a TV me pagava algo que me interessava, estava tudo bem”, ressalta deixando claro seu carinho pela emissora. “Tudo que sei sobre televisão devo a eles”, agradece. Fãs e admiradores do programa “O Aprendiz” festejaram o retorno da atração, transmitido pela Band desde março.

A nova temporada trouxe 18 participantes, influenciadores digitais de diferentes setores: maternidade, humor, viagens, esporte, beleza, entre outros. Na noite do dia 1º de julho, aconteceu a grande final da edição, onde apenas três participantes permaneceram para disputar o grande prêmio de 1 milhão de reais. Quem levou a melhor foi Gabriel Gasparini, que derrotou Gabi Lopes e Erasmo Viana. Como prêmio, levou R$ 1 milhão, um carro 0 km e uma consultoria avaliada em R$ 200 mil reais com o coach José Roberto Marques, um dos conselheiros de Justus no programa.

Nova temporada de O Aprendiz é confirmada - Ao fim do programa, Roberto Justus ainda confirmou uma nova temporada de O Aprendiz na emissora para 2020, sem dar grandes detalhes. “Tenho o prazer de anunciar que nós estamos preparando uma nova temporada de O Aprendiz para o ano que vem aqui na Band. Uma temporada que sei que vai continuar surpreendendo e informando”, afirmou após o anúncio da vitória de Gasparini.

Nossa reportagem bateu um papo com o apresentador que contou todos os detalhes desse retorno. 

Revista Total: O público te pedia o retorno de “O Aprendiz”?

Roberto Justus: Sim. Recebi milhares de pedidos de fãs do programa que estavam se sentindo órfãos. O programa traz às pessoas o estímulo ao empreendedorismo, destacando a superação na meta, carreira e vida, num país que tem um número de desemprego grande. Às vezes, as pessoas não conseguem se desenvolver profissionalmente, trazer um formato desses para televisão aberta em 2004, foi algo importante. De lá para cá o país se transformou, mas nossas carências continuam. O programa tem um ritmo, uma dinâmica ágil na edição. Ele traz emoção, disputa acirrada, drama na demissão, meritocracia quando colocamos os participantes nas recompensas, tudo isso são fórmulas feito com maestria pelo Donald Trump. Não à toa é um dos programas mais premiados internacionalmente. 

Como foi esse período longe da TV, entre sua saída da Record até voltar pela Band?

Não renovei com a Record e depois que eu saí, fiquei praticamente um ano sabático fora do ar, o que me fez muito bem. Nesse período fui aos Estados Unidos e comprei os direitos do programa. Ofereci às emissoras e muitas se interessaram, inclusive a Record a quem devo tudo que aprendi sobre televisão, sinto um enorme carinho. A Band nos abriu a porta de maneira sensacional. Chamamos esses 18 influenciadores digitais que são excelentes profissionais cada um no seu ramo de atuação, do humor, gastronomia, esporte, turismo, esporte, finanças, beleza maternidade... O que vocês quiserem (risos). No auge dos meus 63 anos aprendi que o mundo mudou e temos que nos transformar junto com ele. A resiliência talvez seja uma das características mais importantes no mundo atual, quem fica parado no tempo e no espaço está fora do jogo. Feliz em voltar para televisão, depois de toda experiência que adquiri em diversos formatos, fiz oito temporadas de “O Aprendiz”, “Power Couple”, “A Fazenda”, entre outros, foram desafios interessantes. 

Você foi demitido da Record?

Na verdade meu contrato venceu e não foi renovado. A emissora passa por um momento de reciclagem com salários reajustados. Eu não vivo de televisão, tenho uma carreira consolidada. Enquanto a TV me pagava algo que me interessava, estava tudo bem. Quando eles acenaram uma renovação em padrões que não me favorecia, não renovei em comum acordo. Tenho um carinho gigantesco pela emissora, adoro. 

Já se arrependeu na hora de demitir algum participante do programa?

 Sim, já me arrependi de algumas situações, demiti pessoas que eram melhores dos que ficaram. Não vou citar nominalmente ninguém para não gerar constrangimentos. Não sou perfeito. O bom líder é aquele que erra menos do que acerta. No geral as decisões foram boas. 

 

 

 

Tags: Especial


Artigos Relacionados

Adicionar comentário


Vinhedo, SP

Rua São Thomé, 58 Santa Claudina,
CEP 13.280-000

Número de Telefone

+55 (19) 3876-6989

Fampage